Notícias

No primeiro trimestre do ano, o indicador acumula alta de 5,8%

 

Camila Maciel, da Agencia Brasil

 

 

Cartão de crédito: segundo Serasa, o resultado positivo na comparação mensal e trimestral é justificado pelo recuo da inadimplência

São Paulo – A procura dos consumidores por crédito no mês de março cresceu 11,3% na comparação com fevereiro, aponta a empresa de consultoria Serasa Experian. Em relação a março do ano passado, houve recuo de 1%. No primeiro trimestre do ano, o indicador acumula alta de 5,8%. No mesmo período do ano passado, a demanda por crédito apresentava recuo de 6,8%.

 

 

Na avaliação dos economistas da Serasa, o resultado positivo na comparação mensal e trimestral é justificado pelo recuo da inadimplência e pela manutenção de uma dinâmica favorável do mercado de trabalho. De acordo com a empresa, a recuperação da demanda por crédito teve início no último trimestre do ano passado, quando foi registrada alta de 6,8% em relação ao mesmo período de 2011.

 

Os consumidores com menor renda mensal (até R$ 500) lideraram a busca por crédito em março, com alta de 6,2% em relação ao mesmo mês do ano passado. Também apresentaram acréscimo de 1,8%, os que recebem entre R$ 500 e R$ 1 mil por mês. As demais faixas de renda, por sua vez, tiveram decréscimo na comparação anual: de R$ 1 mil a R$ 2 mil recuo de 3,3%; de R$ 2 mil a R$ 5 mil recuo de 5,8%; de R$ 5 mil a R$ 10 mil, -7,6%; e quem recebe mais de R$ 10 mil, recuo de 5,7%.

 

Na comparação por região do país, os maiores crescimentos em março ocorreram no Norte (10,4%) e Nordeste (4,5%), em relação ao mesmo período do ano passado. As demais regiões tiveram decréscimo: Sul (-6,3%), Centro-Oeste (-2,3%) e Sudeste (-1,7%).

 

O número de pessoas que buscaram  crédito em todo o País no primeiro trimestre deste ano cresceu 5,8% na comparação com igual período do ano passado, informou a Serasa Experian. Em março ante fevereiro, sem ajuste sazonal, o crescimento no Indicador de Demanda do Consumidor por Crédito foi de 11,3%.

Os economistas da Serasa Experian avaliam que o "recuo da inadimplência do consumidor e a manutenção de uma dinâmica favorável do mercado de trabalho vêm estimulando uma recuperação gradativa da demanda do consumidor por crédito, iniciada no último trimestre do ano passado e que se manteve nesta mesma tendência durante o primeiro trimestre de 2013". Nos últimos três meses de 2012, a alta na busca das pessoas por crédito foi de 5,9% em relação a igual período de 2011.

No primeiro trimestre, os consumidores de menor renda mensal lideraram a busca por crédito. O indicador no grupo dos que ganham até R$ 500 por mês subiu 12,2% no acumulado dos três primeiros meses do ano. Entre os que recebem de R$ 500 a R$ 1.000 mensais, a alta foi de 8,2%. Para os consumidores que ganham entre R$ 1.000 e R$ 2.000 mensais, o avanço na busca por crédito foi de 3,9% no primeiro trimestre.

Entre aqueles que possuem rendas mais altas, as variações foram menores: alta de 1,3% para os que ganham de R$ 2.000 a R$ 5.000, queda de 0,2% para os que têm rendimento entre R$ 5.000 e R$ 10.000 e alta de 1,2% para aqueles com renda maior do que R$ 10.000.

Os maiores crescimentos na demanda dos consumidores por crédito aconteceram, nos primeiros três meses do ano, no Norte (16,3%) e no Nordeste (11,3%). No Sudeste, a expansão foi de 4,6%, no Sul, de 3,2%, e no Centro-Oeste, de 2,2%.

Atividade do varejo cresceu 1,4% em relação ao mês anterior.

Na comparação com março de 2012, a atividade varejista avançou 13,4%.

 

 

Fonte:Reuters

 

 

O movimento de consumidores nas lojas do país aumentou 1,4% em março na comparação com fevereiro, descontando efeitos sazonais, informou nesta quinta-feira (4) a Serasa Experian. Em relação a março de 2012, a atividade varejista avançou 13,4%.

 

Segundo a Serasa, o crescimento mensal foi impulsionado por promoções realizadas pelo setor automotivo, considerando que estava previsto novo reajuste das alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre os veículos a partir do início de abril. Em fevereiro, o indicador havia recuado 0,4%.

Embora em 30 de março o governo tenha prorrogado o IPI reduzido até dezembro, houve uma intensificação do movimento dos consumidores às lojas especializadas durante o mês passado. O resultado foi uma alta de 2,4% sobre o movimento em fevereiro, descontados os fatores sazonais.

Também contribuiu para o resultado em março a alta de 1,2% no movimento nos supermercados, hipermercados e demais estabelecimentos do tipo. O fato do feriado da Páscoa neste ano ter caído em março (em 2012 foi em abril), favoreceu a atividade varejista deste setor no mês passado.